Testemunhos

Este é um agradecimento que um amigo me fez:

Por Daniel Taissum

Homenagem ao Amigo Idário e Família

Lembro como se fosse hoje o dia em que recebi aquele telefonema. Havia quase 1 mês que minha filha estava internada e sabíamos muito pouco sobre a doença que a acometia. Ainda não sabíamos o que seria de Letícia quando saísse da UTI. As incertezas e a falta de conhecimento nos assombravam.

O telefone tocou por volta da 11 horas da noite e um homem se identificou como Carlos. Falou que o filho dele tinha a mesma doença que Letícia e ofereceu ajuda. Percebendo o meu desconhecimento, ele decidiu me explicar mais. Foi uma longa conversa, uma verdadeira “enxurrada” de informações. Mas, naquele dia, ele falou 3 palavras que mudariam por completo o rumo de nossas vidas. A 1ª foi ‘Strauss’, o sobrenome do médico considerado um dos maiores especialistas na doença; a 2ª foi ‘cura’, que poderia ser obtida através de transplante hepático. A última palavra foi ‘Idário’, o homem desbravador que enfrentou o sistema brasileiro para ver seu filho curado.

Assim que desligamos o telefone, minha cabeça parecia um turbilhão e o que fiz de imediato foi correr para o computador. Eu precisava encontrar as respostas! Precisava começar a ligar os pontos para encontrar a solução. Naquela noite, li sobre os doutores Morton e Strauss e a Clinic for Special Children, sobre o Dr. Mazariegos, o Children’s Hospital of Pittsburgh e o transplante de fígado. Naquela noite não procurei por ‘Idário’. Mas haveria de chegar a hora em que ele e sua família, seres iluminados, entrariam em nossas vidas.

Dois meses depois pisávamos em solo americano. Passaríamos 1 mês em Strasburg, no estado da Pensilvânia, para que Letícia pudesse ser acompanhada pela equipe da Clinic for Special Children. Nesse período, resolvi tirar um dia para visitar o Children’s Hospital of Pittsburgh, único hospital do mundo com protocolo específico para transplante em pacientes com a doença e um dos dez melhores hospitais nos EUA. Antes de ir, Dr Strauss me deu um papel com um e-mail. Disse-me que aquele era o contato de um grande amigo brasileiro chamado Idário, que morava em Pittsburgh, que o filho dele tinha passado pelo mesmo processo com muito sucesso e que ele poderia nos ajudar muito. Era a 2ª vez que ouvia aquele nome. Mas o que tinha de tão especial? No mesmo dia, à noite, entrei em contato com Idário, por e-mail, me apresentando e falando sobre minha visita à Pittsburgh. De uma gentileza ímpar, esse homem se colocou completamente à disposição para ajudar e disse que eu poderia ficar hospedado na casa dele enquanto estivesse na cidade.

No começo de fevereiro de 2011, chego à Pittsburgh e, após um tour pelo hospital, fui enfim conhecer a Família Santos. Fui recebido carinhosamente por Soraya, esposa de Idário, como se fossemos velhos amigos. E enquanto esperávamos por Idário, essa mulher incrivelmente decidida me contou um pouco da difícil jornada que sua família passou até chegarem ali. Era simplesmente inacreditável ouvir àquilo tudo ao mesmo tempo em que via o pequeno Artur desfilando seu sorriso encantador pelos quatro cantos da casa. Uma criança doce e alegre, que definitivamente havia deixado pra trás todo o sofrimento a que havia sido imposto. Conheci ainda o menino Vinícius, filho mais velho do casal. Um menino muito educado e inteligente, com o qual me identifiquei de imediato, dado seu jeito introvertido que me fazia recordar a mim mesmo quando garoto. Rapidamente me senti em casa!

Ao cair da tarde, finalmente chega Idário. Na minha frente, um homem de baixa estatura, fala simples e sorriso fácil, mas um homem que moveu meio-mundo para ver seu filho curado e para trazer de volta a felicidade à sua família. Lembrei-me do filme “Coração Valente”, quando em dado momento um guerreiro questiona se aquele homem que desfilava com seu cavalo na linha de frente era mesmo William Wallace, pois ele tinha ouvido falar que o líder dos escoceses era bem mais alto e forte. Mas coragem e nobreza nada têm a ver com estatura ou status. Naquele momento, eu estava diante de um homem de coragem e com um grande coração. Eu podia sentir isso.

Naquele dia, Idário me levou para conhecer o Mount Washington, ponto turístico de Pittsburgh com uma linda vista para a cidade. Conversamos sobre muitos assuntos e já não recordo os detalhes, mas lembro-me exatamente de uma parte da nossa conversa. Foi quando agradeci por tudo que eles estavam fazendo pela gente e que esperava um dia retribuir de alguma forma. Foi então que ouvi dele palavras que tocariam para sempre meu coração. Ele me disse que eu não precisava agradecer e que a única retribuição que eu poderia dar era fazer o mesmo por outra família que precisasse de ajuda. Naquela noite, voltando pra casa, não conseguia tirar da cabeça aquela família e sua jornada… e aquelas palavras.

Voltamos ao Brasil para tentar viabilizar o transplante, mas 6 meses depois eu retornava à Pittsburgh para acertar últimos detalhes. E passei uma semana muito especial no seio da Família Santos. Todos os dias, Soraya me preparava um café da manhã nordestino-americano caprichado e depois fazia questão de me acompanhar e carregar pra todo lado. Entre histórias tristes e divertidas, pude conhecer melhor essa incrível mulher. À tarde, sentávamos na varanda de sua casa, na bonita vizinhança de Morningside, para tomar um café e ver as crianças brincando. Quando Idário chegava, logo me carregava para fazer churrasco ou jantar na rua e me contava mais sobre suas histórias, sobre as famílias que ajudou e sobre seu imenso desejo em pôr um fim ao sofrimento das crianças que nascem com condições especiais. Minha admiração e respeito por esse homem aumentavam a cada dia. Eu via nele um herói, cuja determinação e garra eram um exemplo a ser seguido. E agora me tornava amigo dessa lenda.

Em outubro de 2011, chegávamos aos EUA para começarmos a luta pela cura de Letícia. E não há como listar as inúmeras vezes em que essa maravilhosa família esteve com a gente, nos ajudando. Desde conseguir um apartamento na Ronald McDonald’s House, onde ficaríamos literalmente “colados” no hospital e com custo bem inferior a qualquer outro lugar, passando pelas incontáveis caronas e marmitas e chegando a partilharem conosco os momentos alegres e tristes… Seja lá como for, os Santos sempre estiveram ao nosso lado.

Costumo ver a vida como uma série de estradas. Atualmente, estradas bem asfaltadas têm feito com que as pessoas vivam em velocidade e fazendo ultrapassagens. Quando penso no que aconteceu com nossas vidas, vejo que acabamos pegando uma estrada esburacada e com infraestrutura precária. Mas foi lá que conhecemos a Família Santos, que com seu carinho e amizade tem nos ajudado a enfrentar as barreiras que tem aparecido pelo caminho. E a cada dia que passa, eles têm nos mostrado que os caminhos tortuosos são aqueles que nos levam aos lugares mais bonitos.

Pittsburgh, 29 de Abril de 2012.

Daniel Carlos Taissum Cardoso

Anúncios
  1. Uma terna história de sublime amor e intensa doação!

    Gostaria que o mundo todo apreciasse esta história: uma linda história de luta, perseverança, de doação, de amor total, de fé e que nos serve de referencial para incutirmos em nós, seres tão frágeis, a certeza de que a fé realmente consegue mover montanhas e a de que o ser humano foi mesmo feito à semelhança de Deus, com capacidades infinitas.

    Idário (foto) é um amigo paraibano com família residente em Petrolina e que, estimulado pela doença do filho Artur, alçou voo para o exterior, inflado de esperanças em poder salvar a vida de um “reizinho” para lá de especial e que chegou ao nosso planeta para transformar vidas (e transformou!).
    É mesmo uma bela história. Sempre que revejo os vídeos de Artur, choro. Choro literalmente! Não porque seu pai é meu amigo… Choro pela poesia que há nela, choro pelo exemplo de superação, pelo exemplo de amor, pela união dos pais (Soraia/Idario), pela vitória, pela certeza de que “somos o que pensamos ser e ter”…

    Artur está cada vez melhor, sobre todos os pontos de vista e Idario trabalhando para o sucesso do seu livro, através do qual ele narra todos os caminhos de luta, de fé, de progressos e dificuldades trilhados até aqui.

    Vale a pena conferir e deixar as lágrimas rolarem!

    Quer saber mais? Acesse o blog do Idario:

    http://www.idario.com

    QUE MÃE DEDICA, QUE ESPOSA COMPANHEIRA, QUE EXEMPLO DE MULHER!

    Postado por Lu Almeida Imoto às 08:59 Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar no Orkut
    Marcadores: Recado especial
    Reações:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: